Se tem um amigo ou familiar a cuidar de alguém com Alzheimer ou outra demência, é importante oferecer toda a ajuda e apoio que puder.

Para mais informações visite o site Alzheimer Portugal

Não fique à espera de convite para ajudar – A maioria dos cuidadores têm dificuldade em pedir ajuda a outras pessoas, independentemente do quanto possam estar a precisar. Faça a oferta. E quando o fizer, seja específico. Faça sugestões como: “Estou livre amanhã à tarde, posso ficar com o doente enquanto fazes uma pausa?”. Ou  “O que queres que te traga do supermercado hoje?”. Ajudar mesmo nas tarefas mais banais, pode libertar o cuidador para passar mais tempo de qualidade com o doente ou fazer uma pausa para recarregar baterias.

Seja amigo – Os cuidadores tendem a afastar-se da família e dos amigos, mas precisam de contacto regular com o mundo exterior. Telefonemas, mensagens de texto ou e-mails são bem-vindos. Mas nada se compara a uma visita pessoal para levantar o humor ou ânimo do cuidador. E, uma vez mais, não espere que o convidem – seja aquele que aparece.

Seja um bom ouvinte – Desabafar as frustrações relacionadas com o cuidado pode ser um óptimo calmante. Ouça os medos e preocupações do cuidador, sem julgar.

Demonstre a sua gratidão – Se o cuidador for um irmão que cuida dos seus pais, por exemplo, é importante expressar a sua gratidão. O doente com Alzheimer em estado intermédio ou avançado pode já não ser capaz de o fazer, pelo que é importante que os outros membros da família reconheçam o trabalho árduo e o sacrifício do cuidador. Embora um postal ou um simples “obrigado” possam fazer muito, se forem acompanhados pela oferta de um período de descanso, podem ser uma bênção.

Por último, saiba reconhecer os sinais de stress do cuidador e incentive-o a concentrar-se mais na sua própria saúde e bem-estar, bem como a procurar ajuda profissional quando necessário.

Leave a Comment